sábado, 11 de abril de 2009

In Memoriam


Há 41 anos o dia 11 de Abril era uma sexta-feira: sexta-feira Santa.
O meu Pai partiu.
Às 3 horas da tarde.
Com 51 anos.
Eu tinha a frescura dos 20.
Cabelos ao vento, sonhos na cabeça, vontade de viver e de desafiar o Mundo.
Crescia, ainda, entre afectos. Muitos afectos!
Nesse dia, envelheci. Deixei os sonhos e as despreocupações. Tornei-me adulto sem o ser ainda.
Recordo, hoje e aqui, esse dia e relembro o que, então, escrevi no meu "Diário":

"Sexta-feira Santa,
Três horas da tarde,
Foi-se a tua alma para os lugares da Luz.
E muitos pensaram
e alguns disseram:
Morreste no leito,
Ele na Cruz!"


Que estejas em Paz, Pai!

2 comentários:

Virgínia disse...

Considero uma benção ainda ter os meus pais (ele com 87 ela com 80)vivos e cada dia que passa tenho mais consciência disso, pelos que já não podem ter a sua companhia.
Um abraço.

Luís disse...

Como sinto a tua falta, pai... já passaram mais de dois anos mas a dor de te ter perdido... essa... ainda perdura, e perdurará eternamente...
É verdade que mudamos a partir desse dia.

Relembro aqui a dedicatória que fiz ao meu pai num dia em que ele tanto desejava ter estado presente:

"Pater, scio quantum tu in Capelorum Conclaui adesse expetis ut meum defensionem me videas, sed quamuis inter nos non sis physice, vivum in cordibus nostris perpetuo continuabis. Tibi habeo gratiam."

Um abraço, e um beijinho do Daniel ;)